Buscar
  • Dra Alyne Gabrielly Borges Corrêa

Como é a cirurgia de estrabismo?

Muitos pacientes me perguntam: como é a cirurgia de estrabismo?

Neste post, vou tentar explicar de uma forma simples como é essa cirurgia, esclarecendo os principais pontos questionados durante a consulta, e de certa forma tranquilizar as pessoas que precisam passar por esse procedimento.


A primeira coisa a esclarecer é:

não existe, até o momento, cirurgia de estrabismo à laser.


A cirurgia é realizada nos músculos extraoculares, responsáveis pela movimentação dos olhos.


Cada músculo tem a sua função e, ao mesmo tempo, um outro músculo se opõe à sua força para que os movimentos oculares sejam equilibrados e os olhos permaneçam alinhados. Nada mais é que um "jogo de forças".


O estrabismo ocorre quando há um desequilíbrio entre essas forças.

Para que o cirurgião tenha acesso aos músculos, é realizado um pequeno corte em uma estrutura chamada conjuntiva ( uma fina membrana transparente que recobre a esclera - a "parte branca" do olho).

A quantidade de músculos que serão operados e quais serão eles, depende do tipo de estrabismo e do tamanho do ângulo do desvio. Por isso uma boa avaliação pré-operatória e uma correta programação cirúrgica são fatores decisivos para o sucesso da cirurgia.


Basicamente, o que será feito na cirurgia é o enfraquecimento do músculo que está mais forte em relação ao seu oponente ou o fortalecimento do músculo que está mais fraco, ou as duas coisas, a depender do tamanho do ângulo do desvio.

Quando o objetivo é enfraquecer o músculo, o que se faz é reposicionar a sua inserção ( ponto de origem na esclera) posteriormente em relação à córnea, ou em alguns casos específicos, simplesmente desinserir esse músculo da esclera, anulando a sua função. Quanto mais posterior esse músculo for colocado, mais fraco ele ficará.


Se o objetivo é fortalecer o músculo, um pedaço do mesmo será retirado, mantendo, na maioria das vezes, a sua inserção original. Opcionalmente, poderá ser feita uma dobradura (plicatura) desse músculo, gerando um encurtamento do seu tendão.



Ao término do procedimento, a conjuntiva será suturada com um fio reabsorvível. Os pontos costumam cair sozinhos em até 15 dias.

Oferecemos aos nossos pacientes a alternativa de uma cirurgia sem pontos, onde a conjuntiva é fechada com uma cola biológica. A cola oferece algumas vantagens como, menor desconforto e menos processo inflamatório no pós operatório.


No pós operatório, é necessário utilizar colírios. Lembrando que os olhos ficarão vermelhos por um tempo, variando conforme a idade e a capacidade de cicatrização de cada paciente, em geral, de 15 a 30 dias.


Quanto ao tipo de anestesia, para as crianças deve ser anestesia geral, e para os adultos, além da anestesia geral, há a opção de anestesia local com bloqueio ou simplesmente anestesia tópica, através do uso de colírio anestésico.

Cada tipo de anestesia tem as suas vantagens e desvantagens, e a escolha irá depender do perfil de cada paciente. Em outro post falaremos mais sobre isso.


É uma cirurgia com duração de aproximadamente 1 hora, realizada em ambiente hospitalar e com alta no mesmo dia.


Quando operar?

A melhor época para operar depende de alguns fatores, como o tipo de estrabismo, a idade do paciente, se ainda há riscos de comprometimento da função visual, se já existe uma medida confiável do desvio (crianças muito pequenas não colaborativas), entre outros. Em geral, quanto antes corrigido o problema, maiores serão os benefícios para o paciente, tanto pela facilidade do tratamento e chances de sucesso, como pelos fatores psicológicos envolvidos com o estrabismo.


Em geral, é uma cirurgia tranquila!

Alguns pontos, no entanto, merecem ser destacados:

  1. A cirurgia de estrabismo não corrige o erro refrativo (grau) que eventualmente o paciente tenha. Ou seja, se o paciente é dependente de óculos, muito provavelmente vai precisar continuar utilizando eles mesmo após a cirurgia. A alteração de grau que eventualmente possa ocorrer ao longo dos anos, em nada tem à ver com a cirurgia de estrabismo realizada.

  2. A cirurgia de estrabismo não corrige a ambliopia do adulto. O adulto que tem acuidade visual reduzida em um dos olhos mesmo com a devida correção (óculos), vai permanecer com a mesma qualidade visual de antes da cirurgia. Em relação às crianças que têm ambliopia, a cirurgia de estrabismo auxilia no tratamento, uma vez que o desalinhamento ocular é um fator ambliopizante. No entanto, algumas crianças precisam continuar utilizando o tampão por um tempo após a cirurgia.


Espero ter esclarecido os principais tópicos em relação ao tema e fico à disposição para qualquer outra dúvida😉




0 visualização

(11) 32624470

(11) 95607-3783

©2019 by Eyefocus Oftalmologia. Proudly created with Wix.com